Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Mensagens’ Category

Jonas: uma história sobre missões

Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela,…Jonas se dispôs, mas para fugir da presença do Senhor, para Társis;…

(Jn 1.2a, 3a)

Geralmente quando se fala do livro de Jonas, destaca-se a desobediência e a fuga de um profeta de Deus. Algumas revistas infantis de EBD resumem a mensagem desse livro com uma frase do tipo: Jonas, o profeta fujão, ou Jonas, o profeta desobediente. Mas, apesar de destacar a desobediência e a rebeldia de um homem de Deus, o livro Jonas registra mais atitudes de obediência do que de desobediência, de submissão à ordem do Criador do que de rebeldia. De sorte que podemos afirmar que o livro do profeta desobediente é o livro da obediência. O livro do profeta rebelde é o livro da submissão à vontade de Deus.
No livro de Jonas toda a criação se submete e segue as ordens do Criador: O vento forte (1.4), o mar agitado (1.12, 15), o grande peixe (1.17; 2.10), a planta (4.6), o minúsculo inseto (4.7), o vento quente e calmo (4.8). Há nesse livro uma sintonia quase perfeita entre Criador e criatura, entre ordem e obediência, entre determinação e submissão. É uma sintonia quase perfeita porque um único ser em toda a criação resolve opor-se e rebelar-se contra a ordem do Criador. Toda a criação se submete, exceto o homem.
Amados, por incrível que pareça, nós seres humanos, entre todas as criaturas, podemos nos tornar um fator complicador no cumprimento da Missão de Deus. Isso acontece quando resolvemos andar na direção contrária ao propósito de Deus neste mundo. À semelhança de Jonas, às vezes, queremos mudar a mente de Deus, os seus métodos e a sua maneira de agir ao invés de mudarmos o nosso coração. Há momentos em que cometemos a insensatez de querermos dizer para Deus o lugar, o tempo e as pessoas que devem ser evangelizadas. Mas, isso é rebeldia! Ele já disse que o lugar é “todo lugar”, que o tempo é “em todo o tempo”, e que as pessoas, é “toda criatura”.
Irmãos, Missões é uma questão de obediência. Mesmo com esse ato de rebeldia, Deus mostrou a Jonas quem de fato manda! Quem de fato é o Senhor! Meio que a contra gosto ele obedeceu, e o resultado de sua obediência foi impressionante. Houve uma conversão em massa! Sua mensagem, apesar de dura e sem compaixão, teve cem por cento de aproveitamento (3.5-10). A experiência de Jonas nos ensina que o que Deus requer de nós, os seus servos, é tão somente obediência; o resultado do trabalho é da competência Dele.
Quando eu viajava de São Gabriel para a aldeia, passava em frente ao Batalhão de Infantaria de Selva. Ao passar ali me deparava com uma frase escrita em grandes letras: “Missão não se escolhe nem se discute, cumpre-se.” Alguém pode até pensar que isso é coisa de militar, e de fato é. Mas, não compete a nós, servos do Senhor Jesus, escolhermos ou discutirmos a missão que Ele nos confiou; compete-nos tão somente obedecer. Precisamos levar em consideração que aquele que disse “fazei discípulos de todas as nações/etnias” (Mt 28.19b), foi o mesmo que um pouquinho antes declarou ser a Maior Autoridade do Universo: “Toda autoridade me foi dada no céu e na terra” (Mt 28.18b). Por tanto, obedeçamos e deixemos os resultados por conta Dele.

Missões: uma questão de compaixão

Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, misericordioso, tardio em irar-se, grande em benignidade, e que te arrependes do mal. (Jn 4.2b)

Quando se fala da fuga de Jonas procura-se explicar as razões e os motivos que o levaram a fugir ao invés de obedecer a Deus. Geralmente atribuem a sua fuga ao seu etnocentrismo, ou seja, ao seu entendimento que Javé era o Deus exclusivo dos israelitas. Além de ao seu sentimento de exclusividade, atribuem a sua fuga também ao conhecimento que ele tinha da maldade, da cruel e do tratamento desumano que os ninivitas dispensavam aos seus inimigos. Possivelmente esses dois fatores contribuíram para que Jonas fugisse para o Oeste (Társis) ao passo que o Senhor o enviara para o Leste (Nínive).
No entanto, o real e verdadeiro motivo da sua fuga e desobediência foi revelado por ele mesmo em sua desgostosa oração. Ao ver a conversão dos ninivitas e o perdão de Deus sobre suas vidas, Jonas ficou irado e desgostoso com o Senhor. Com essa sua atitude Jonas tornou-se o único profeta-missionário que se entristeceu com a conversão dos seus ouvintes. Mas, por que essa atitude tão mesquinha? Em sua oração Jonas revelou o que estava por trás da sua fuga e de sua estranha reação à conversão dos ninivitas. Ele disse: Eu fugi porque conhecia o teu caráter misericordioso,…fugi porque eu sabia que tu és Deus clemente, benigno, tardio em irar-se e que te arrependes do mal (4.2b). Jonas queria tudo, menos que Deus usasse de misericórdia e compaixão com os ninivitas. Jonas era um profeta destituído de compaixão. Ele pregava desejando a condenação e não a salvação dos pecadores; ele pregava querendo ver a justiça de Deus sendo executada e não o seu amor sendo demonstrado; ele pregava desejando ver o juízo de Deus sobre as pessoas, e não o seu perdão. Ou seja, faltava a Jonas compaixão; e essa foi a razão maior da sua fuga.
Amados, a falta de compaixão transforma a obediência num fardo pesado, nos torna pessoas mal humoradas, carrancudas e severas no tratamento dos pecados alheios. A ausência de compaixão em nossos corações nos torna pessoas incapazes de ver gente como gente, de valorizar mais pessoas do que coisas, e de nos movermos em direção aos perdidos, aos necessitados e aos desprovidos de Deus neste mundo. Por isso, concluímos que sem compaixão não há missão. Podemos ter pessoas vocacionadas, recursos financeiros, treinamento especializado, missionários bem preparados, agências e juntas de missões, estratégias e projetos bem elaborados, e dons espirituais; mas, nada disso funcionará a contento se não houver compaixão, corações sensíveis às necessidades das pessoas, e se não formos capazes de enxergar com os olhos do coração. Seguramente, a força impulsionadora da obra missionária é a compaixão gerada pelo Espírito. É possível que a passividade, a lentidão e a falta de envolvimento de alguns no cumprimento do mandato missionário estejam relacionados com a ausência desse nobre sentimento em seus corações.
É preciso que estejamos atentos! O tempo passa, nos acostumamos com Deus, com a igreja, com atividades religiosas, com cultos semanais, e, quando menos esperamos, nos tornamos religiosos. E aí está o grande perigo! A religiosidade mata a compaixão (Lc 10.29-37)! Se isso já aconteceu com alguns de nós, peçamos ao Senhor a restauração desse sentimento. Porque missões é também uma questão de compaixão. O trabalho missionário realizado por Jesus é o nosso maior paradigma. Mateus diz que Ele percorria todas as cidades e povoados ensinando, pregando e curando. No entanto, ele revela que a força impulsionadora de sua missão era a compaixão, pois, “Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas,…” (Mt 9.35, 36a).

Pr. Paulo César Nunes do Nascimento

 Imagem do avatar

Nasci no dia 05 de dezembro de 1972 num vilarejo chamado Tupanaci, município de Mirandiba, Pernambuco. Converti-me em abril de 1989. Senti-me vocacionado para o ministério logo no início da conversão. Fui para Seminário Betel Brasileiro em João Pessoa- PB em 1991. Cursei Bacharel em Teologia com especialização em Missiologia. Em 1996 fiz o Curso de Linguística e Missiologia na Missão ALEM em Brasília. Em dezembro de 1996 fui para o campo missionário Indígena no interior do Amazonas como missionário da Junta Administrativa de Missões – CBN e da Missão ALEM. Em 1997 casei-me com Luciene e trabalhamos 12 anos junto ao povo Tukano. Fizemos a adaptação do NT para a língua desse povo o qual foi publicado em 2004. Atualmente sou pastor auxiliar na minha igreja mãe em Serra Talhada, interior de Pernambuco.

Fonte: G+ Estudos Bíblicos.

Read Full Post »

Queridos Irmãos,

Você sabia que no Brasil existem aproximadamente 1 milhão de ciganos?

E a grande maioria deles são esquecidos pela sociedade e pela igreja. Você já viu algum cigano ou conhece algum, que participa da igreja onde você frequenta?

Então, existe um irmãos queridos que trabalham com evangelização de ciganos. O Projeto é lindo e Deus está fazendo maravilhas.

Conheça e Participe da Evangelização deste Povo, tão esqueçido por nós, mas muito amado por Deus.

Acessem: http://www.reneci.com.br/

 

 

Read Full Post »

Comunicado do Pr. Marco Feliciano a todos os evangélicos

Marco Feliciano

A noite passada passei em vigília e em oração. Busquei entendimento no Senhor sobre os assuntos que pautaram os noticiários, e o que me veio ao coração foi preocupante demais.

Existe uma proposta de lei que foi (PL.122), na qual tem como um de seus alvos, retirar das prateleiras todos os escritos tidos por um grupo como Escritos Homofóbicos.

Para o leigo, tal proposta é legitima, afinal, qualquer tipo de preconceito deve sim ser combatido e repudiado. Todavia para os que conhecem a fundo o assunto, sabem muito bem que o alvo é banir do nosso país o Livro dos Livros, A Bíblia Sagrada! Pois esta contem textos que condenam a pratica da homossexualidade.

Mas depois de meditar, pois fui bombardeado por um assunto que foi deturpado, compreendi. Ontem eu citei a bíblia num assunto puramente teológico que fala abertamente sobre maldições e nada mais, e acabei sendo acusado maldosamente de ser racista e preconceituoso, isso, confesso, me da nojo, angustia e revolta e fico pensando até onde vai
a maldade de alguns.

E pensei. Qual será o próximo ataque?

Será que eu, ou um outro líder religioso estaremos pregando sobre a CRUZ e falando que o sofrimento de Jesus nos libertou do mal, e alguém ira nos processar, dizendo que estamos fazendo apologia a TORTURA? Ou nos rotulando de MASOQUISTAS?

Será que ao ministrarmos sobre o nascimento virginal de Jesus, dirão que apoiamos a GRAVIDEZ INDEPENDENTE?

Que ao citarmos o patriarca Abraão e o sacrifício de Isaque irão dizer que apoiamos a VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA?

Que quando pregarmos contra a feitiçaria, seremos taxados de intolerantes?

Acordemos! De maneira subliminar e sorrateira começam a desconstruir a nossa fé cristã. Começam a manipular a opinião publica contra nossas bases.

Abra sua Internet e procure sobre perseguição religiosa no mundo. Você encontrará pastores presos por pregarem a palavra, serem processados por sustentarem suas posições cristãs!

Pastor nesse país é sinônimo de ladrão, padres, sinônimo de pedofilia! Será que ninguém percebe o que esta acontecendo aqui? Estamos sendo perseguidos, estamos sofrendo PRECONCEITO RELIGIOSO!

Em uma reunião da Frente Parlamentar da Família, (da qual sou o segundo secretario), com o Ministro da Justiça, ouvi o presidente da frente, o Senador Magno Malta algo que me deixou assustado, pois eu não tinha o conhecimento, de que, o programa evangélico do Pr. Silas Malafaia sofreu uma retaliação e tem classificação especial. Não pode ser exibido em horário normal, pois foi rotulado como impróprio. Mas algumas novelas, que mostram, nudez, sexo, violência, não sofrem com esse problema. Que país é esse, onde a palavra de Deus não pode ser pregada como ela é?

Acordemos repito! Nossos conceitos, nossos valores, nossa fé esta sendo posta a prova e não nos atentamos a isso. E quando falo nossa fé não me dirijo a uma vertente A ou B do cristianismo, e sim a todos os cristãos do Brasil. A CNBB deve tomar conhecimento do anunciado ontem via mídia on-line, que, a Igreja Católica foi citada no episódio, pois afirmaram que já houve preconceito no passado usando o mesmo texto bíblico.

Eu conclamo a todos os que professam a fé cristã a se posicionarem agora, para não chorarmos amargamente amanhã! Caminhamos para o caos como uma sociedade sem regras, onde os valores estão deturpados e o certo passa a ser o errado.

Estou Parlamentar, eleito pelo povo de Deus, e sou Pastor por vocação divina. Se for pelo evangelho, não temo. Lutarei sempre. Não me intimidarei ante estes ataques. Agora acabei descobrindo o real motivo pelo qual fui constituído pastor pelo Senhor e parlamentar pelo povo brasileiro. Essa é minha bandeira, a minha fé!

Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para a Salvação de todo aquele que crê… Romanos 1:16.

Pastor Marco Feliciano
Deputado Federal РPSC/SP Membro da Frente Parlamentar Evang̩lica

SITE www.marcofeliciano.com.br

Read Full Post »

//

Em pregação, Pastor Mark Driscoll decreta: “Você está em perigo.  Sem Jesus, você vai para o inferno”

Em um sermão reconhecidamente difícil em 15 anos de ministério, o pastor de Seattle Mark Driscoll deixou isso bem claro que o inferno é real e é o destino para aqueles que não confiam em Jesus.

“Deixe-me dizer isso claramente, … plenamente, … em voz alta: Você está em perigo. Sem Jesus, você vai para o inferno,” o pastor reformado disse à milhares de pessoas na Igreja Mars Hill esse fim de semana.

Driscoll estava pregando sobre o sexto capítulo do Evangelho de Lucas – um livro do Novo Testamento que ele tem estado pregando ao longo de um ano e meio em sua Igreja. Mas o que fez o sermão ainda mais oportuno e muito mais urgente foi o recente debate sobre o inferno na luz do lançamento de Love Wins: A Book About Heaven, Hell and the Fate of Every Person Who Ever Lived (O Amor Vence: Um Livro Sobre o Céu, Inferno e o Destino de Todas as Pessoas que Já Viveram), do pastor Rob Bell, Grandville, Michigan.

Bell, que tem sido acusado de heresia e pregação de universalismo, fez a mídia rondar durante o tour de seu livro este mês. Em uma visita ao MSNBC, o autor popular foi empurrado quatro vezes pelo apresentador Martin Bashir sobre a questão de destino eterno depois de receber respostas insatisfatórias – ou melhor, obscuras.

“É irrelevante sobre como se responde a Cristo nesta vida em termos de determinar o destino eterno de alguém?” perguntou Bashir, que também acusou o autor de alterar o Evangelho de modo que seja palatável.

“É extremamente relevante e muito importante. Agora, exatamente como isso funciona e como funciona exatamente isso no futuro, nós estamos agora, quando você morrer com firmeza no campo da especulação,” respondeu Bell.

“Você tem que ser muito cuidadoso para não criar doutrinas e dogmas todo sobre o que é especulação.”

Sem citar nomes, Driscoll, autor de Doutrina: O que os Cristãos Devem Acreditar, expressou profunda preocupação com os falsos ensinamentos e mensagens que anunciam outra coisa senão a salvação através de Jesus Cristo.

“Isso me incomoda muito quando os pastores bem conhecidos e pregadores e autores são convidados para a televisão … quando o mundo os está ouvindo, o entrevitador os indaga” se você não acredita em Jesus, você está indo para o inferno?” e eles se contorcem ou mudam de assunto ou apelam para as emoções ou contam uma história, eles fazem qualquer coisa, exceto dizer “sim, se você não conhece a Jesus você vai para o inferno,” disse o pastor de 40 anos.

“Amigos, esta é a mais séria de questões,” disse ele na congregação. “Eu não sou juiz, mas há pastores que estão indo para o inferno. Portanto, tenha cuidado em quem confia.”

Para Driscoll, não há ambiguidade nos ensinamentos de Jesus sobre o céu e o inferno.

Sublinhando em todo o seu sermão que seu trabalho é dizer a verdade, Driscoll apontou para os ensinamentos de Jesus sobre a questão difícil do inferno.

Jesus, disse ele, fala do inferno mais do que ninguém em toda a Bíblia. Cerca de 13 por cento dos seus ensinamentos e metade de suas parábolas são referência para o inferno, julgamento ou punição, Driscoll observou.

“Alguns dizem que Jesus é tão amoroso que certamente Jesus não acredita em inferno. Eu diria a pessoa mais amorosa que já viveu não só acredita no inferno, mas é evidente que, enfaticamente, ensina repetidamente sobre ele, o que deve significar que o nosso pecado é mais condenável do que podemos imaginar, se exige que a pessoa mais amorosa fale no mais gritante dos termos,” destacou.

“A existência do inferno, a instrução dada por Jesus, o inferno deve revelar-nos quão pecaminoso o pecado verdadeiramente é e quão rebelde somos realmente.”

Desde o começo, Driscoll, que foi criado como Católico antes de se converter aos 19 anos, rejeitou como falso diversas posições populares que as pessoas têm sobre a morte e a vida após a morte, incluindo o naturalismo (sem alma), universalismo (todos ou quase todos vão para o céu) , a crença na reencarnação (vidas sucessivas e múltiplas), niilismo (sofrer um tempo no inferno, mas eventualmente deixam de existir), e a crença no purgatório (punição temporária e, finalmente, ir para o céu).

Deixando claro que Jesus deixou claro, o pastor de Seattle disse que todos que não conhecem Jesus vão para o inferno.

“Você já recebeu Jesus? Você confia em Jesus? Se não, você está no caminho da ira de Deus. Vocês estão indo para o consciente eterno tormento do inferno,” afirmou.

Citando Jesus, Driscoll ressaltou: “Ninguém vem ao Pai senão por mim.” Ninguém. Ninguém. Budismo, não. Hinduísmo, não. Nova Era, não. Mormonismo, não. Testemunhas de Jeová, não. Boa gente, não. Povo Generoso, não. As pessoas religiosas, não.”

“Não há salvação sem ele (Jesus)!” exclamou ele.

Quanto a uma segunda chance após a morte, Driscoll disse claramente que não há segunda chance.

“Seu destino eterno é selado após a sua morte. Esta vida é sua única oportunidade,” pregou.

“Eu vou enterrar muita gente. Então, para mim, isso não é apenas cruel especulação acadêmica,” enfatizou. “É a afeição sincera pastoral.”

“Estou realmente preocupado com alguns de vocês,” disse ele quando ficou com os olhos lacrimejantes. “Eu amo vocês. Eu não posso ter o seu sangue em minhas mãos. ”

Enquanto alguns tentam elevar um atributo de Deus sobre o outro (como o amor), Driscoll observou que, enquanto Deus é amor, a Bíblia fala mais de sua santidade do que qualquer outra coisa.

“Deus é amor, e tudo quanto Deus faz é amar. Deus também é justo. Deus também é santo,” disse ele. “Nosso Deus também é, simultaneamente, perfeitamente um Deus de ira. Não é apenas o nosso Deus, mas o único Deus.

“Deus é santo. Se não nos arrependermos, nós estamos no caminho da sua ira.”

É no amor, no entanto, que Deus enviou Jesus como nosso substituto, para ir para a cruz e nos dar a vida eterna,” Driscoll acrescentou.

Respondendo a perguntas sobre por que Deus criou as pessoas, se o seu futuro é o inferno, Driscoll disse: “As pessoas vão para o inferno, pois rejeitam a Jesus. Não estamos de forma inocente.”

“Este não é o mundo como Deus o fez. Este é o mundo que temos corrompido,” ele explicou.

Ele continuou: “O que é espantoso é Deus se tornaria um homem a viver no mundo como o destruiu.”

A ira de Deus foi derramada sobre Jesus, ele acrescentou, para que ele possa ser desviado de nós.

“Esse é o dom da salvação. Esse é o amor de Deus.”

Em uma ilustração, Driscoll disse: “Faz todo o sentido para mim que um criminoso condenado vá para a prisão. Da mesma forma, faz todo o sentido que um pecador condenado vá para o inferno.”

O inferno, observou ele, foi feito para o diabo e seus anjos que se rebelaram contra Deus. E assim como a prisão foi feita para proteger o resto do público, o inferno foi feito para “nos proteger.”

“Você não precisa ir lá. Confie em Jesus.”

No que diz respeito a como é o inferno, a ilustração de Lucas revela um lugar de tormento com as chamas. É como estar preso em um prédio em chamas para sempre, disse Driscoll.

Jesus também usa como ilustração um lugar fora de Jerusalém, chamado inferno. Lá, as crianças eram assassinadas e sacrificados por fogo aos falsos deuses (demônio).

Era um lugar amaldiçoado que se tornou um depósito de lixo da cidade, onde os vermes estavam sempre festa e as chamas sempre queimando.

Perto do fim do seu sermão, Driscoll pediu a congregação para não julgar a Deus.

“Temos disposições pecaminosas. Só temos estado por aqui por poucos anos. Não é que nós todos estamos sabendo,” ressaltou.

“Para nós, sentar-se em um trono, mesmo se for um trono acadêmico apoiado por notas de rodapé, pedindo ao Criador do céu e da terra passar diante de nós para que possamos emitir um veredicto a respeito de Sua santidade e justiça é como todos os problemas começaram em primeiro lugar.”

Driscoll pediu à congregação e aos outros ouvintes on-line para tomar uma decisão – a vida eterna ou morte eterna.

“Você ainda está vivo por isso estou pedindo a você. Faça a sua decisão enquanto você ainda está vivo.”

Fonte: Christian Post

Read Full Post »

Pela vontade de Deus, Ordenança de Cristo, e revelação do Espírito Santo, como Ministro do Evangelho, conclamo a todo o povo de Deus, especialmente à Igreja do Senhor Jesus Cristo, especialmente aos pastores aonde esta mensagem alcançar possa, para que divulguem em seus púlpitos e entre os irmãos, que Deus deseja que sejamos mais sérios moralmente para que o inimigo não venha a agir na nação brasileira nos próximos 3 meses! (1 Pe.1:2-4) Pr.Prof. Darlan Lima (www.discipuladosemfronteiras.com) (85) 9969-8754

Read Full Post »

Cada uma!!!!

 

Cesar Menotti diz ser cristão

e

Edir Macedo disse beber cerveja e vinho

e

Escola de Samba desfilará com temas biblicos

e

Justin Bauer ser cristão

…Cada uma!!!! !!!! Misericórdia..!! Fico com nojo de tudo isso!!!

Read Full Post »

Folheto!

Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos.

Numa tarde de domingo, quando chegou à hora do pastor e seu filho saírem pelas ruas com os folhetos, fazia muito frio lá fora e também chovia muito. O menino se agasalhou e disse:

-‘Ok, papai, estou pronto. ‘

E seu pai perguntou:

-‘Pronto para quê?’:

-‘Pai, está na hora de juntarmos os nossos folhetos e sairmos. ‘

Seu pai respondeu:

-‘Filho, está muito frio lá fora e também está chovendo muito. ‘

O menino olhou para o pai surpreso e perguntou:

-‘Mas, pai, as pessoas não vão para o inferno até mesmo em dias de chuva?’

Seu pai respondeu:

-‘Filho, eu não vou sair nesse frio. ‘

Triste, o menino perguntou:

-‘Pai, eu posso ir? Por favor!’

Seu pai hesitou por um momento e depois disse:

-‘Filho, você pode ir. Aqui estão os folhetos. Tome cuidado, filho. ‘

-‘Obrigado, pai!’

Então ele saiu no meio daquela chuva. Este menino de onze anos
caminhou pelas ruas da cidade de porta em porta entregando folhetos evangelísticos a todos que via.

Depois de caminhar por duas horas na chuva, ele estava todo molhado, mas faltava o último folheto. Ele parou na esquina e procurou por alguém para entregar o folheto, mas as ruas estavam totalmente desertas. Então ele se virou em direção à primeira casa que viu e caminhou pela calçada até a porta e tocou a campainha. Ele tocou a campainha, mas ninguém respondeu. Ele tocou de novo, mais uma vez, mas ninguém abriu a porta. Ele esperou, mas não houve resposta.

Finalmente, este soldadinho de onze anos se virou para ir embora, mas algo o deteve. Mais uma vez, ele se virou para a porta, tocou a campainha e bateu na porta bem forte. Ele esperou, alguma coisa o fazia ficar ali na varanda. Ele tocou de novo e desta vez a porta se abriu bem devagar. De pé na porta estava uma senhora idosa com um olhar muito triste. Ela perguntou gentilmente:

-‘O que eu posso fazer por você, meu filho?’

Com olhos radiantes e um sorriso que iluminou o mundo dela, este
pequeno menino disse:

-‘Senhora, me perdoe se eu estou perturbando, mas eu só gostaria de dizer que JESUS A AMA MUITO e eu vim aqui para lhe entregar o meu último folheto que lhe dirá tudo sobre JESUS e seu grande AMOR. ‘

Então ele entregou o seu último folheto e se virou para ir embora.
Ela o chamou e disse:

-‘Obrigada, meu filho!!! E que Deus te abençoe!!!’

Bem, na manhã do seguinte domingo na igreja, o Papai Pastor estava no púlpito. Quando o culto começou ele perguntou:

– ‘Alguém tem um testemunho ou algo a dizer?’

Lentamente, na última fila da igreja, uma senhora idosa se pôs de pé.
Conforme ela começou a falar, um olhar glorioso transparecia em seu rosto.

– ‘Ninguém me conhece nesta igreja. Eu nunca estive aqui. Vocês sabem antes do domingo passado eu não era cristã. Meu marido faleceu a algum tempo deixando-me totalmente sozinha neste mundo. No domingo passado, sendo um dia particularmente frio e chuvoso, eu tinha decidido no meu coração que eu chegaria ao fim da linha, eu não tinha mais esperança ou vontade de viver.

Então eu peguei uma corda e uma cadeira e subi as escadas para o sótão da minha casa. Eu amarrei a corda numa madeira no telhado, subi na cadeira e coloquei a outra ponta da corda em volta do meu pescoço. De pé naquela cadeira, tão só e de coração partido, eu estava a ponto de saltar, quando, de repente, o toque da campainha me assustou. Eu pensei:

-‘Vou esperar um minuto e quem quer que seja irá embora. ‘

Eu esperei e esperei, mas a campainha era insistente; depois a pessoa que estava tocando também começou a bater bem forte. Eu pensei:

-‘Quem neste mundo pode ser? Ninguém toca a campainha da minha casa ou vem me visitar. ‘

Eu afrouxei a corda do meu pescoço e segui em direção à porta,
enquanto a campainha soava cada vez mais alta.

Quando eu abri a porta e vi quem era, eu mal pude acreditar, pois na minha varanda estava o menino mais radiante e angelical que já vi em minha vida. O seu SORRISO, ah, eu nunca poderia descrevê-lo a vocês! As palavras que saíam da sua boca fizeram com que o meu coração que estava morto há muito tempo SALTASSE PARA A VIDA quando ele exclamou com voz de querubim:,

-‘Senhora, eu só vim aqui para dizer QUE JESUS A AMA MUITO. ‘

Então ele me entregou este folheto que eu agora tenho em minhas mãos.

Conforme aquele anjinho desaparecia no frio e na chuva, eu fechei a porta e atenciosamente li cada palavra deste folheto.

Então eu subi para o sótão para pegar a minha corda e a cadeira. Eu não iria precisar mais delas. Vocês vêem – eu agora sou uma FILHA FELIZ DO REI!!!

Já que o endereço da sua igreja estava no verso deste folheto, eu vim aqui pessoalmente para dizer OBRIGADO ao anjinho de Deus que no momento certo livrou a minha alma de uma eternidade no inferno. ‘

Não havia quem não tivesse lágrimas nos olhos na igreja. E quando gritos de louvor e honra ao REI ecoaram por todo o edifício,
o Papai Pastor desceu do púlpito e foi em direção a primeira fila onde o seu anjinho estava sentado. Ele tomou o seu filho nos braços e chorou copiosamente.

Provavelmente nenhuma igreja teve um momento tão glorioso como este e provavelmente este universo nunca viu um pai tão transbordante de amor e honra por causa do seu filho…

Exceto um. Este Pai também permitiu que o Seu Filho viesse a um mundo frio e tenebroso. Ele recebeu o Seu Filho de volta com gozo indescritível, todo o céu gritou louvores e honra ao Rei, o Pai
assentou o Seu Filho num trono acima de todo principado e potestade e lhe deu um nome que é acima de todo nome.

Bem aventurados são os olhos que vêem esta mensagem. Não deixe que ela se perca, leia-a de novo e passe-a adiante.

Lembre-se: a mensagem de Deus pode fazer a diferença na vida de alguém próximo a você.

Por isso…

– Me perdoe se eu estou perturbando, mas eu só gostaria de
dizer que JESUS TE AMA MUITO e eu vim aqui para lhe entregar o meu último folheto.

Read Full Post »

Older Posts »